Existem relatos de que no Brasil o Papai Noel usa roupas de seda por causa do calor, clima diferente de seu país de origem.

O Papai Noel na Suécia é representado por um duende conhecido Tomte. Na noite natalina ele entrega presentes junto com sua cabra chamada Yule.

Na Catalunha, Espanha, existe uma tradição muito bizarra. No período natalino, as pessoas costumam enfeitar o presépio com uma estatua chamada “Caganer”, acreditando que ela é um amuleto da sorte. O estranho é que o boneco retrata um homem defecando.

Os Ucranianos têm o costume de usar teias de aranha como enfeites natalinos. Eles acreditam que as teias atraem sorte.

O Papai Noel na Islândia não é um, mas sim 13. Eles são conhecidos como Yule Lads e trazem presentes de Natal a crianças que tiveram um bom comportamento.

A lenda austríaca é muito assustadora. Diz que durante o período de Natal as crianças que se comportaram bem receberão presentes de Papai Noel. Mas o bom velhinho também tem um ajudante chamado Krampus, que é responsável por cuidar daquelas que não tiveram um bom comportamento: ele coloca crianças desobedientes em um saco e as devora ao entardecer. Além do mais, durante a primeira semana de dezembro em todo o país é possível ver homens fantasiados de Krampus só para lembrar as crianças como se comportar.

Semelhante a lenda austríaca de Krampus, uma história do folclore alemão conta que São Nicolau aparece na noite de Natal para entregar os presentes. Porém, junto com ele, vem uma criatura diabólica que fica encarregada de surrar as crianças que não sabem rezar.


Na República Tcheca e na Eslováquia as mulheres costumam fazer um teste no dia de Natal para saber se vão casar. Elas jogam o sapato perto de uma porta e, se a ponta cair na direção da porta, significa que elas vão se casar em breve.

O Natal na Iugoslávia é comemorado praticamente junto com o Dia das Mães. E nessa época os filhos tem o costume de “sequestrarem” as mães e amarrá-las em uma cadeira. Elas só são libertas quando pagam o resgate exigido: os presentes de Natal.

Na Finlândia é comum as famílias visitarem os entes queridos no dia do Natal. As velas acessas para relembrar os mortos acabam decorando os cemitérios.