Não estamos no período da ditadura, mas a impressa continua sofrendo opressões. Foi o que aconteceu com repórter Juliano Dip e seu câmera, do Programa CQC, da TV Bandeirantes, ao serem impedidos de participar de uma coletiva de imprensa com a mineradora Samarco, empresa responsável pela barragem que devastou o vilarejo de Mariana, em Minas Gerais.
Dip estava credenciado e até usava a pulseira de identificação quando recebeu a notícia de que teria que deixar o ônibus responsável por transportar os jornalistas até o local da coletiva. O repórter se negou a descer dizendo “que era seu dever como jornalista permanecer no ônibus”.

Na tentativa de despistar a equipe do CQC, funcionários da mineradora chegaram a transferir os outros jornalistas para um segundo ônibus. O restante da história você confere no vídeo abaixo.