Afinal, de onde surgiu a teoria de que os vampiros têm medo de alho? Existe uma hipótese que pode explicar o motivo disso.

Segundo a teoria do químico Wayne Tikkanen, da Universidade Estadual da Califórnia, os vampiros eram pessoas com porfiria – um conjunto de pelo menos oito doenças distintas. A síndrome resulta no crescimento excessivo dos dentes caninos, além de deixar a pessoa fotossensível - ou seja, sofria queimaduras na pele quando entrava em contato com a luz solar. Por isso, os ‘vampiros’, como eram chamados os indivíduos portadores de porfiria, tiveram que aderir hábitos noturnos, como o do morcego por exemplo.

Mas por que os vampiros não gostam de alho? Os pacientes de porfiria não podiam ingerir alho por causa das toxinas contidas nele, que pioravam os sintomas da doença ao entrar na corrente sanguínea. Com o passar do tempo, os vampiros receberam a fama de parasitas (sobreviviam sugando o sangue de humanos) e, por medo, as pessoas começaram a usar o alho como uma espécie de arma contra a criatura.